Juiz nega liminar da FTC; acordo Microsoft-Activision se aproxima

Um juiz federal em São Francisco negou o pedido da Federal Trade Commission (Comissão Federal de Comércio) de uma liminar preliminar para impedir que a Microsoft finalize a aquisição da editora de jogos de vídeo Activision Blizzard.

No entanto, o negócio ainda enfrenta obstáculos. A FTC pode recorrer da decisão perante um tribunal federal de apelações, e as duas empresas precisam encontrar uma maneira de resolver a oposição da Competition and Markets Authority (Autoridade de Concorrência e Mercados) no Reino Unido.

“A responsabilidade deste tribunal neste caso é limitada. Ela é decidir se, não obstante as circunstâncias atuais, a fusão deveria ser interrompida – talvez até mesmo terminada – aguardando a resolução da ação administrativa da FTC”, escreveu a juíza Jacqueline Scott Corley em sua decisão, publicada na terça-feira. “Pelos motivos expostos, o tribunal conclui que a FTC não demonstrou a probabilidade de prevalecer em sua alegação de que essa fusão vertical específica nesta indústria específica pode substancialmente diminuir a concorrência. Pelo contrário, as evidências indicam maior acesso dos consumidores a Call of Duty e outros conteúdos da Activision. Portanto, o pedido de liminar preliminar é NEGADO.”

As ações da Activision Blizzard atingiram o valor máximo de US$ 88,03 por ação após a decisão emitida pelo Tribunal Distrital dos EUA para o Distrito Norte da Califórnia. A Microsoft havia concordado em comprar a editora de jogos por US$ 95 por ação.

“A nossa fusão beneficiará os consumidores e os trabalhadores. Isso permitirá a competição, em vez de permitir que líderes de mercado estabelecidos continuem dominando a nossa indústria em rápido crescimento”, afirmou o CEO da Activision Blizzard, Bobby Kotick, em um comunicado.

A Microsoft também comemorou a decisão

“Estamos gratos ao tribunal em São Francisco por essa decisão rápida e minuciosa e esperamos que outras jurisdições continuem trabalhando para uma resolução oportuna”, afirmou Brad Smith, presidente e vice-presidente da Microsoft, em um comunicado. “Como demonstramos consistentemente ao longo desse processo, estamos comprometidos em trabalhar de forma criativa e colaborativa para lidar com as preocupações regulatórias.”

A decisão vem após cinco dias de audiências judiciais para avaliar se a Microsoft seria capaz de concluir a aquisição da Activision Blizzard no valor de $68,7 bilhões anunciada em 2022. O juiz estava decidindo se concederia o pedido de medida cautelar de emergência da Comissão Federal de Comércio (FTC) para impedir o fechamento do acordo.

Fonte/Reprodução: Gazeta Brasil