Estudo revela que buraco negro em nossa galáxia está ativo e ‘não adormecido’

Sagittarius A*, o buraco negro supermassivo que se encontra no centro da nossa galáxia Via Láctea e que anteriormente era considerado adormecido, brevemente voltou à atividade no final do século XIX, de acordo com os resultados de um estudo publicado na revista Nature.

O buraco negro, que é cerca de quatro milhões de vezes mais massivo que o Sol e está localizado a cerca de 27.000 anos-luz da Terra, despertou do seu prolongado sono há cerca de 200 anos, de acordo com o estudo. O corpo celestial passou cerca de um ano engolindo vários objetos cósmicos antes de voltar novamente a um estado de dormência, segundo os pesquisadores.

“Imagine um urso entrando em hibernação depois de devorar tudo ao seu redor”, disse Frederic Marin, autor do estudo, por meio da AFP no sábado (24).

Durante essa fase de atividade no final do século XIX, o buraco negro estava “pelo menos um milhão de vezes mais brilhante do que hoje”, acrescentou Marin. A atividade centenária foi observada por cientistas, que notaram que as nuvens moleculares galácticas próximas começaram a emitir luz de raios-X tão dramática que é como se “uma única larva de vaga-lume escondida numa floresta de repente se tornasse tão brilhante quanto o Sol”, disse o Centro Nacional de Pesquisa Científica da França.

Astrônomos rastrearam essa luz de raios-X com o uso do Explorer de Polarimetria de Raios-X de Imagem da NASA (IXPE) e descobriram que as pistas apontavam diretamente para Sagitário A*, que Marin disse ter “emitido um eco de sua atividade passada, que conseguimos observar pela primeira vez”.

No entanto, enquanto os cientistas estão fascinados com as descobertas do estudo, as razões para o ressurgimento do buraco negro permanecem um mistério. Uma hipótese predominante é que uma estrela ou nuvem de gás pode ter se aproximado demais, despertando Sagitário A* de seu estado de dormência. Os pesquisadores esperam que o estudo possa fornecer insights cruciais sobre o que desencadeia buracos negros a emergir de períodos de dormência para a atividade.

No ano passado, os astrônomos divulgaram on-line as primeiras imagens já tiradas do buraco negro – ou, mais especificamente, do anel brilhante de gás que o rodeia e confirma sua presença. Um buraco negro é uma área de espaço-tempo que tem uma gravidade tão forte que nada, nem mesmo a luz, pode emergir dele. Eles são formados quando o centro de uma estrela muito massiva entra em colapso sobre si mesma no final de sua vida.

Fonte/Reprodução: Gazeta Brasil